15 Setembro 2008

Jeremias

De cada vez que há um velho que se pendura na ponta de um baraço e dá por finda a jornada, sinto que somos todos nós a ajudar a tecer os fios com que as vidas deles vão sendo cerzidas. De toda e cada vez que isto acontece procuramos saber os detalhes com que nunca nos preocupámos, tentamos conhecer aqueles por quem nunca tivemos curiosidade e dormimos mais ou menos incomodamente sobre o assunto que se há-de desvanecer com a ajuda de uma noite de sono. A vida há-de trazer-nos mais Jeremias. Não os queremos, não os procuramos, mas eles estão sempre aí a brotar das ombreiras das portas como bonecos impelidos por molas.

Sem comentários: